Dentes limpinhos e hálito fresco, quem não quer?

Primeiro vamos falar de limpeza. Trata-se de escovação diária, com uso de produtos indicados (pasta de dente) e se necessário produtos complementares (flúor) e uso regular do fio dental. Mantendo esta rotina, dificilmente terá problemas com bactérias ou tártaros. Mas como cada caso é diferente, existem pessoas que por questões de genética, uso de medicamentos ou problemas no sistema digestivo precisam de tratamentos mais profundos ou quando os hábitos de higiene não são suficientes indica-se um tratamento de limpeza chamado profilaxia dental.

limpeza dental ou profilaxia

 

O que é profilaxia dental?

Também chamada de limpeza dental, trata-se de um complemento de limpeza dos dentes, feito pelo dentista em um procedimento que remove o tártaro (o cálculo) e a placa bacteriana (o biofilme). No consultório, o profissional remove os resíduos através de um aparelho de ultrassom e curetas (instrumentos de raspagem) e jatos de água e ar com bicarbonato.

 

De quanto em quanto tempo o procedimento de limpeza deve ser refeito?

É recomendado refazer sempre que exista acúmulo de resíduos. A média é a cada seis meses, salvo-se casos mais delicados como os citados no primeiro parágrafo, estes devem refazer a limpeza a cada três meses, ou conforme necessário.

 

Dói?

Não, em geral o desconforto é mínimo, exceto em pessoas que tem extrema sensibilidade nos dentes, nesses casos o dentista aplica produtos anestésicos.

 

Por quê é importante fazer profilaxia periódica?

O acúmulo de tártaro e de placa podem causar inflamações na gengiva, a chamada gengivite, o que irá causar dor, inchaço e sangramento, além de deixar a raiz do dente mais exposta à cáries. Se nada for feita ela pode evoluir para uma periodontite, que é a inflamação dos tecidos que suportam os dentes. A periodontite causa perda óssea.