Botox para o ronco

O pior não é roncar, é dormir com quem ronca! Pode ser, mas o ronco pode estar ligado a problemas mais graves, como é o caso da apnéia. Uma patologia caracterizada por paradas respiratórias. O ronco é um ruído provocado por estreitamento ou obturação nas vias respiratórias durante o sono. Esse estreitamento dificulta a passagem de ar e provoca a vibração dessas estruturas.  As principais causas do ronco são flacidez nos músculos da boca e da garganta, amígdalas e adenóides hipertrofiadas, desvio de septo, pólipos no nariz, rinite, sinusite e obstruções nasais, queixo recaído e envelhecimento. E os principais fatores de risco, agravantes do problema são: obesidade, ingestão de bebidas alcoólicas, uso de calmantes e remédios para dormir, excessos alimentares, refluxo gastroesofágico e tabagismo.

Como solucionar os problemas com o ronco?

Então, como vemos acima, o ronco não é tão simples, está cercado de problemas, alguns mais fáceis de resolver, outros menos. Primeiramente é preciso tentar soluções que, além do ronco, vão melhorar sua qualidade de vida. Introduzir exercícios físicos na rotina, eles são ótimos contra os distúrbios da apnéia. Adaptar-se a uma alimentação leve e saudável e evitar álcool e tabaco. Dessa forma, não obtendo resultados favoráveis, outros tratamentos não cirúrgicos estão disponíveis.

Dependendo da gravidade da doença, os aparelhos intra-orais podem ser solução. Em casos de apnéias mais leves uma moldeira, confeccionada por dentista, fazem a função de desobstruir a passagem de ar. Por outro lado, nos casos mais graves, outro aparelho o CPAP (Continuous Positive Airway Pressure), que consiste em um pequeno compressor de ar de alta tecnologia, conectado a uma mascara ajustada ao nariz do paciente. Porém, a toxina botulínica é indicada para os dois os casos, isolada ou adaptada a ambos os aparelhos. O botox é aplicado em alguns músculos nasais para relaxar a musculatura e conseqüentemente facilitar a respiração. O botox é mais conservador e menos incômodo. Somente situações mais extremas são resolvidas com bisturi. Quando for o caso de defeitos anatômicos. Há procedimentos mais complexos ou aumentam o espaço do céu da boca, avanças a língua ou reposicionar a maxila.

Por que o Botox?

tratar ronco com botoxA toxina botulínica é responsável por diminuir a função muscular. Comumente ela é usada para amenizar rugas e linhas de expressão. Mas a ciência tem olhado para o botox com outros olhos e visto novas funções. E tem encontrado atividades bem importantes e novas,  como o caso da diminuição do estrabismo, espasmos, hiperidrose, bexiga hiperativa, dores de cabeça e uma série de outras atribuições, dentre elas está a diminuição do ronco.

Acontece que o botox paralisa as estruturas flácidas da garganta e boca que vibram durante o sono e provocam o ronco. Ele está ainda, inicialmente, substituindo os aparelhos intra-orais que não costumam ser confortáveis. Em síntese, as pesquisas ainda tem muito a evoluir, mas já temos bons avanços. Ainda mais que toxina botulínica é  um produto de confiança e só tem apresentado bons resultados nos estudos.

De que forma o Botox é aplicado e como ajuda a combater o ronco?

frasco de botox para o tratamento do roncoUma injeção simples, com uma agulha pequena e fina, de toxina botulínica no céu da boca, provoca o relaxamento da musculatura do local, ao mesmo tempo que enrijece a região. Dessa forma, esta técnica diminui a vibração que provoca o incômodo efeito sonoro do ronco. Para isso, aplica-se o Botox em três pontos em volta do palato mole, a “campainha”. Primeiramente, é importante lembrar que esta solução é temporária, o botox é uma substância reabsorvida pelo organismo e deve ser reposta periodicamente.

Em geral, este tratamento é apenas paliativo, ainda mais que foi com um pequeno estudo, que cirurgiões do nariz e da garganta e do ouvido conseguiram parar o ronco de 90% dos pacientes, aplicando essa série de injeções no palato mole. O que leva os profissionais da área a acreditar que a solução definitiva está muito próxima e é bem simples. Em suma, envolve apenas uma visita de 10 minutos a uma clínica especializada.

Do mesmo modo, as injeções são indolores e o único desconforto experimentado pelos roncadores foi uma leve dor de garganta por um ou dois dias. Até agora, uma cura permanente envolvia uma grande e dolorosa cirurgia para corrigir o paladar. Ou operações usando lasers e ondas de rádio, semelhantes às microondas. No novo tratamento – aperfeiçoado por médicos no Centro Médico do Exército Walter Reed, em Washington – um ano depois, a maioria dos pacientes ainda está livre de roncos. A maioria dos procedimentos trata o ronco criando tecido cicatricial no palato mole e endurecendo-o. Afinal, a vantagem deste tratamento é que é rápido, barato e indolor e não requer qualquer tipo de cirurgia.

Como saber quando tomar providências?

ronco e apnéiaO diagnóstico da apnéia do sono é dado através de um exame chamado polissonografia. Realizado a noite em laboratório, quando um profissional qualificado acompanha o sono do paciente. Neste ínterim, sensores registram a passagem de ar e descrevem em detalhes, como é o descanso do indivíduo. Este exame geralmente é solicitado quando o paciente apresenta muitos sintomas como sonolência excessiva e distúrbios respiratórios como ronco e apnéia e alterações do ritmo cardíaco. Geralmente quem percebe que é hora de buscar ajuda, não é o próprio paciente, e sim quem dorme próximo a ele. É comum pessoas que roncam, se quer saber que sofrem desse mal.